OS EMBAIXADORES “VENTOINHAS”

Capa-4541

Na sua edição de hoje, o jornal “A nação” avança que Carlos Veiga, Eurico Monteiro e José Filomeno Monteiro são apontados como próximos embaixadores de Cabo Verde, respectivamente, em Washington, Lisboa e Bruxelas. Como é do conhecimento geral, os dois primeiros nomes são políticos de carreira e não diplomatas. Durante anos, ouvimos o MpD criticar o PAICV por nomeações politicas para estes cargos e agora que estão no poder o que é que fazem? Exactamente o mesmo.

Este foi um tema já muito debatido e que até já proporcionou um veto presidencial de Jorge Carlos Fonseca quando Mário Matos foi proposto por José Maria Neves como embaixador em 2011. Na altura, o PR justificou o veto por considerar Mário Matos “uma personalidade excessivamente partidária”. Veremos se o PR mantém a sua coerência quando tiver que analisar estas nomeações, especialmente a de Carlos Veiga. Fica mais um exemplo da importância de termos várias cores políticas nos órgãos de poder, conforme post de ontem.

Mas o mais curioso nisto tudo foi o jogo político de Ulisses Correia e Silva na constituição das listas para as legislativas. Deixou de fora estes nomes com o pretexto de que era preciso uma renovação nos dirigentes e trazer gente mais nova para a política, mas no final do dia cá estão eles em busca do uma reforma dourada no estrangeiro, à custa do povo cabo-verdiano.

Agradecemos desde já todos os comentários. Procurarmos ser um espaço de debate livre a acessível a pessoas de todas as orientações ideológicas e partidárias.

Para os que diziam que o post do “Jobs for the MpD” era exagerado, gostava de perceber se ainda pensam o mesmo?

Advertisement

25 Milhões de Dólares de Investimento

O Banco Mundial anunciou um apoio de 25 milhões de dólares para o período de Julho de 2017 a Junho de 2018 e mostrou-se disponível em apoiar Cabo Verde na estabilidade macroeconómica, na redução da dívida e fomentar o desenvolvimento do sector privado. Representantes dessa organização reuniram-se com o novo governo de Cabo Verde, num encontro que serviu para delinear as prioridades económicas e de cooperação para os próximos cinco anos, bem como discutir as melhores formas dessa instituição financeira internacional continuar a apoiar o arquipélago.

Esta é uma excelente notícia para Cabo Verde e temos de destacar a importância deste novo governo ter assegurado a manutenção destes apoios durante esta legislatura. Agora, o importante é que sejam bem aplicados “para a promoção do sector privado, a melhoria do sistema dos transportes e uma educação de qualidade.” conforme prometido pelo Sr. Ministro das Finanças, Olavo Correia.